Este site usa cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website concorda com o seu uso. Para saber mais leia a nossa Política de Cookies.

Imagem de Abertura

Campeonato Nacional de Empresas

O sucesso define-se em campo

192 equipas • 6 regiões • 1 finalíssima • 1 empresa vencedora

Regulamento


Publicado a 07 de Novembro de 2022 a 18:23

Capítulo I – Disposições Gerais

Artigo 1. Definição da prova e regulamentos aplicáveis

  1. A Altice Empresas Corporate Padel League é uma prova composta por equipas, aberta a todas as empresas, organizações, associações ou organismos que exerçam a sua atividade em Portugal.
  2. O campeonato será disputado entre equipas masculinas e equipas femininas, com o mínimo de 6 e o máximo de 10 atletas.
  3. O campeonato será disputado regionalmente, nomeadamente na Região Norte (Porto), Região Centro (Aveiro), Região Lisboa, Região Sul (Algarve) e Ilhas (Prova Madeira e Prova Açores.
  4. A disputa dos encontros será regida pelas Regras do Jogo de Padel aprovadas pela Federação Portuguesa de Padel.

Artigo 2. Funções do Juíz Árbitro

  1. O Juiz Árbitro da prova tem como função a coordenação e desenvolvimento da mesma, aplicando critérios disciplinares caso seja necessário, assim como qualquer intervenção para a boa prática da modalidade e desenrolar da prova.
  2. O Juiz Árbitro estará sempre presente no decorrer das eliminatórias.

Artigo 3. Contactos

Director da Prova: Pedro Sousa – 919 576 666 – pesousa@hotmail.com
Juíz Árbitro: – Inês Flórido Carvalho – 910 772 673 – inesflorido@gmail.com

Capítulo II – Equipas e Jogadores

Artigo 4. Clubes, equipas, locais e publicidade

  1. Só podem participar na prova equipas de empresas, organizações, associações ou organismos que exerçam a sua atividade em Portugal.
  2. Cada empresa poderá inscrever várias equipas na prova, e em diferentes regiões.
  3. Elementos de uma equipa não podem jogar por outras equipas, mesmo que sejam da mesma empresa.
  4. É permitido exibir publicidade tanto no vestuário dos atletas como no nome da equipa, embora essa publicidade não possa referir ideias políticas ou religiosas, nem infringir a lei, a moral, os bons costumes ou a ordem pública.

Artigo 5. Requisitos para a inscrição de jogadores

  1. Só podem ser inscritos como jogadores em cada equipa, aqueles que tenham licença válida da Federação Portuguesa de Padel de praticante social ou praticante jogador, do ano em que será realizada a prova.
  2. Cada equipa de uma empresa será independente, pelo que os elementos de uma equipa não poderão ser trocados com elementos de outra equipa na prova, mesmo sendo da mesma empresa.
  3. Cada equipa tem de ter no mínimo um funcionário da empresa representada.
  4. Cada Equipa terá de eleger um Capitão de Equipa, que representará a sua equipa.
  5. Uma vez inscrita a empresa, até uma semana antes da prova, é da responsabilidade do Capitão adicionar os seus jogadores à prova, no site ou APP do Corporate Padel League (TiePadel do Corporate Padel League), sob penalização de não participação e a não devolução do valor da inscrição.
  6. Não podem ser inscritos jogadores com ranking nível 1, à data das inscrições e do fecho de pagamentos.
  7. A idade mínima permitida é de 18 anos.
  8. As equipas deverão inscrever-se em Masculinos e/ou Femininos. (Atletas com ranking nacional nível 2 não podem jogar juntos nos pares).

Artigo 6. Requisitos, prazos, e inscrição de equipas

  1. A inscrição é formalizada através do formulário no site do Corporate Padel League (alticecorporatepadelleague.negocios.pt).
  2. O valor da inscrição é de 500€ + IVA, por equipa.
  3. As inscrições das equipas decorrem a partir do dia 23 de Novembro de 2022 até ás 17h do dia de encerramento das mesmas, 15 dias antes da realização da respetiva etapa.
  4. Haverá limite de equipas admitidas em cada prova, sendo que este limite varia de região para região, consoante o número de campos e dias de prova disponíveis para a realização da mesma. Quando o número de equipas for superior ao limite estabelecido de cada região, os critérios aplicados para determinar a candidatura admitida na prova são sequencialmente os seguintes:
    1. Data e hora de inscrição.
    2. Data e hora do pagamento.
  5. Os limites estimados por região são os seguintes:
Região Equipas Masculinas Equipas Femininas
Lisboa 32 24
Porto 32 20
Centro 20 12
Algarve 20 8
Açores 8 8
Madeira 16 8
  1. O número de vagas máximo por região não deverá ser alterado, no entanto, as vagas de uma categoria que não foram preenchidas na totalidade podem ser atribuídas à outra categoria, sem nunca penalizar o bom funcionamento da prova.
  2. No caso de um elevado número de equipas inscritas, a prova pode ter o seu início na quinta-feira às 18h, em qualquer uma das regiões.

Artigo 7. Capitães de equipa

  1. Cada equipa deve ter um capitão e um endereço de e-mail para notificações da Organização, do Juiz Árbitro e/ou, eventualmente, dos capitães das outras equipas do seu grupo da prova.
  2. As obrigações do capitão de equipa são as seguintes:
    1. Representar a equipa perante a organização e as outras equipas;
    2. Comunicar aos elementos da equipa os horários, regras, etc.;
    3. Controlar a pontualidade e desportivismo dos seus jogadores;
    4. Cumprir e fazer cumprir o regulamento junto dos seus jogadores;
    5. Confirmar a receção e leitura dos e-mails que sejam enviados pela organização, e/ou, dos capitães das outras equipas;
    6. Definir o alinhamento dos pares, definindo o par n.º1, n.º 2 e n.º 3.

Artigo 8. Constituição das equipas

  1. As equipas serão formadas por: mínimo de 6 atletas e máximo de 10 atletas.
  2. As equipas não podem ser mistas.
  3. Todas as equipas serão publicadas no site e APP oficial da prova, assim como os seus resultados.

Capítulo III – Desenvolvimento da prova

Artigo 9. Formato da prova

  1. A prova divide-se em regiões (6): Porto, Centro, Lisboa, Algarve, Madeira e Açores.
  2. Prova disputar-se-á em 2 fases: Regional (nas 6 regiões) e Finalíssima (apurados de cada região da fase regional).
  3. Na fase regional, o formato da prova será de acordo com o Regulamento Geral da FPP – anexo XVI. O seu formato irá depender do número de equipas inscritas.
    1. O limite de equipas será definido de região para região, de acordo com as inscrições e infraestruturas disponíveis para a realização da prova. Estas podem variar de região para região.
    2. Os horários da prova serão: sexta-feira a partir das 18h, sábado a partir das 9h e domingo a partir das 9h. No caso de um número elevado de equipas a prova poderá ter início na quinta-feira a partir das 18h.
    3. Os horários de cada prova, serão publicados no site e APP oficial do evento, uma semana antes da respetiva prova.
  4. Apuram-se para a fase nacional os dois primeiros classificados de cada região (de acordo com Regulamento Geral da FPP – anexo XVI).

Artigo 10. Datas

A prova será disputada, de sexta a domingo, com exceção das regiões com máxima lotação, que poderão começar quinta-feira, entre os meses de Janeiro a Março 2023:

  1. Fase de Grupos Regionais:
    • 20, 21 e 22 Janeiro 2023 – Centro (Aveiro Padel)
    • 27, 28 e 29 Janeiro 2023 – Açores (Azores Padel Club)
    • 3, 4 e 5 Fevereiro 2023 – Lisboa (Oeiras Padel Academy)
    • 10, 11 e 12 Fevereiro 2023- Madeira (Quinta do Padel Madeira)
    • 17, 18 e 19 Fevereiro 2023 – Algarve (Vilamoura Ténis & Padel)
    • 24, 25 e 26 Fevereiro 2023 – Porto (Padel Inn Gaia)
  2. Finalíssima (11 e 12 de Março 2023) – Lisboa

Artigo 11. Sistema de competição

  1. O sistema de competição será por grupos seguido de um quadro de eliminação direta entre as equipas melhor classificadas de cada grupo, tanto na fase regional como na fase nacional (Finalíssima).
  2. A elaboração dos grupos e posteriormente dos quadros de eliminação direta será através de sorteio.
  3. Os pontos atribuídos em cada jornada serão:
    • 3 pontos por vitória
    • 1 ponto por derrota
    • 0 pontos por derrota por falta de comparência
  4. Por cada região serão apuradas 2 equipas para a finalíssima, no Oeiras Padel Academy em Lisboa.
  5. No caso de empate, caso exista sistema de grupos, são aplicáveis, sempre por esta ordem, os seguintes critérios:
    1. Confronto direto entre equipas;
    2. Maior número de encontros ganhos;
    3. Melhor resultado obtido pela diferença entre o número encontros ganhos e perdidos, nas eliminatórias entre si;
    4. Melhor resultado obtido pela diferença entre o número de sets ganhos e perdidos, nas eliminatórias entre si;
  6. Quando uma das equipas for penalizada por falta de comparência, por desistência ou apresentação de número insuficiente de atletas, será excluída do grupo de desempate e colocado no último lugar entre as equipas empatadas. Os resultados dos encontros em que esteja envolvida não serão tidos em conta para quebrar o empate entre as restantes equipas no grupo empatado. O desempate será decidido unicamente com base nos resultados produzidos nas eliminatórias entre as equipas empatadas.

Artigo 12. Falta de comparência, apresentação insuficiente de atletas e cancelamento

  1. Entende-se por Falta de Comparência quando uma equipa não compareça no dia e hora da sua prova, com uma tolerância máxima de 10 minutos, ou sem os requisitos mínimos necessários para a disputa dos encontros.
  2. Não é considerada falta de comparência quando se apresentarem pelo menos 4 atletas para o confronto.
  3. A falta de comparência de uma equipa num encontro será punida da seguinte forma:
    • Nas fases regionais e finalíssima: Derrota na eliminatória dos grupos por 3/0 com pontuação de 6/0 6/0 em cada um dos encontros
  4. Uma segunda falta de comparência na mesma fase da prova, será punida com a eliminação da equipa.
  5. A desistência injustificada de uma equipa durante uma eliminatória, uma vez iniciada, ou a recusa em iniciar a mesma, será sancionada com Falta de Comparência.
  6. Quando, durante a mesma eliminatória, os casos apresentados neste artigo são cometidos por ambas as equipas serão impostas as devidas sanções às duas equipas, e nenhuma delas será declarada vencedora da eliminatória. Para efeitos de classificação serão atribuídas derrotas por 3/0, com 6/0 6/0 em todos os encontros a ambas as equipas.
  7. Quando uma equipa não apresenta o número suficiente de atletas para a realização de todos os encontros, desde que cumpra com o mínimo de 4 atletas, a eliminatória pode prosseguir. Nesse caso, nos encontros em que não haja jogadores suficientes, será declarada falta de comparência e é atribuída derrota por 6/0 6/0 à equipa que não tenha elementos suficientes.

Capítulo IV. Desenvolvimento da eliminatória

Artigo 13. Antes da eliminatória

  1. Cada capitão escolhe os pares que representarão a sua equipa.
  2. O capitão terá de submeter a formação da sua equipa para a jornada no site ou APP do Corporate Padel League, até 30 minutos antes do horário definido para a mesma.
  3. Os atletas são obrigados a comparecer na eliminatória com um documento identificativo (Cartão de Cidadão, Carta de condução, passaporte, etc.) e devem apresentar esse documento, caso o capitão da equipa adversária o solicite, antes do início da eliminatória

Artigo 14. Alinhamento dos atletas

  1. Para um atleta ser alinhado numa eliminatória, deve reunir os seguintes requisitos:
    1. Ter uma licença da Federação Portuguesa de Padel, válida de praticante social ou jogador, no ano em que decorre a prova (2023).
    2. Estar inscrito na prova dentro dos prazos previstos.
    3. Reunir os requisitos de idade, nível de jogo, e todos os outros previamente estabelecidos neste regulamento.
  2. Cada jogador poderá participar apenas num encontro por eliminatória, não podendo ser repetido nos restantes encontros.
  3. Quando, durante a mesma eliminatória, os casos apresentados neste artigo são cometidos por ambas as equipas serão impostas as devidas sanções às duas equipas, e nenhuma delas será declarada vencedora da eliminatória. Para efeitos de classificação serão atribuídas derrotas por 3/0, com 6/0 6/0 em todos os encontros a ambas as equipas.

Artigo 15. Desenvolvimento das eliminatórias

  1. As eliminatórias serão realizadas competindo entre si os pares número 1, número 2, e número 3 de cada equipa.
  2. A ordem de disputa dos encontros, quando não possam ser jogados todos ao mesmo tempo, será a seguinte:
    1. Par n.º 3
    2. Par n.º 2
    3. Par n.º 1
  3. O formato dos encontros será decisão exclusiva do juiz árbitro da prova.

Artigo 16. Órgãos disciplinares

  1. Todas as questões disciplinares e competitivas que surjam durante os encontros devem ser comunicadas ao Juiz Árbitro da Prova e ao Diretor de Prova.
  2. No que diz respeito a questões disciplinares são aplicáveis os Regulamentos Disciplinares da FPP.
Regressar à Página Inicial